Parentesco, Ritual e Economia no Alto Xingú

A experiência do autor com o Xingu iniciou-se em 1961, quando em visita aos amigos da família, Orlando e Cláudio Villas-Boas. Esta viagem, realizada aos 15 anos de idade, iria marcar sua vida, levando-o à antropologia, ao indigenismo e a uma visão das ciências sociais de absoluto comprometimento com o povo brasileiro e com o Brasil.

Em 1965, o autor retornou ao Xingu, como aluno de graduação da Universidade de Brasília e estagiário do Professor Eduardo Galvão. Ainda se lembra do ataque aos xinguanos, realizado pelos então isolados índios Txicão, ocorrido naquela oportunidade. O Posto Leonardo Villas-Boas transformado em espaço de abrigo para refugiados de todo o Alto Xingú.

Assim, este livro sobre Xingu, resultante de pesquisa de mestrado, realizada 10 anos mais tarde, em 1971 e 1972, inaugura a carreira profissional de antropólogo de George Zarur. O estudo, orientado por Júlio Cesar Melatti, foi influenciado por Eduardo Galvão e pelopensamento ecursos dos professores Roque Laraia, na UNB, e Roberto Cardoso do Oliveria, Roberto da Mata e Luiz de Castro Faria, no Museu Nacional.

Deixar Um Comentário